Começo do #PoupaRwanda e estratégias de contenção.

Algumas pessoas que me conhecem há anos sabem que eu adoro comprinhas e não meço esforços para gastar dinheiro em comida e em roupas baratas que me atraem. Desde dezembro pena ser tão tarde, mas ainda dá tempo, rs a situação é diferente: pela primeira vez, estou poupando dinheiro e estou conseguindo progredir!
Desde meado de 2014 que eu comecei a colocar dinheiro na poupança, sem tirá-lo. A questão era: como ter o incentivo de alimentar a poupança, ou seja, pegar qualquer dinheirinho sobrando e colocar na poupança, sem ter medo de chegar final do mês e ficar sem dinheiro? Isso foi o que persistiu durante o ano todo. Na verdade, só consegui efetivar cinco depósitos na minha poupança: dois de minha avó e  um de minha tia (que é mais fácil); além de dois que eu fiz, transferindo da minha CC para CP (o que era mais doloroso, hauahuahuah!).
Como eu tive um contratempo com o cartão do banco, acabei ficando sem o cartão físico por alguns meses e nem isso contribuiu para que eu alimentasse a poupança: ela permaneceu com os depósitos anteriores. Quando eu comecei ver que não era impossível viajar e ver minhas ideias para dissertação caminharem, eu comecei a colocar como prioridade alimentar minha poupança e esse seria meu plano quando eu chegasse em Salvador para pegar meu cartão e ver a situação precária da minha poupança.
Quando cheguei em Salvador, cumpri com minha meta: em 16 de dezembro peguei o cartão, vi a situação bancária e comecei os depósitos. A sensação de você conseguir fazer, manter algo que você não imaginava que era capaz é muito boa, com isso, acabei descobrindo o meu motor para alimentar a minha poupança: a minha motivação de correr atrás de algo que nunca tinha feito/conseguido. Acho que já ultrapassei os dias sem sacar nada da conta e o valor máximo acumulado – mesmo sendo pouco, já começa sendo uma vitória no meu caminho para Ruanda. 
Gosto de valorizar as pequenas vitórias porque só é possível chegar no grande objetivo se você for ultrapassando cada obstáculo por dia, e é o que eu pretendo fazer!
 Além de mim e de minha avó, consegui que alguns amigos/pessoas conhecidas vestissem a camisa e me apoiassem nessa empreitada, o que vou mostrar ao longo dos posts alguns dos meus apoiadores, fazendo questão de dar um agradecimento especial aos mesmos 🙂
Voltando a minha conta, no mesmo dia que fiz os pontos supracitados, abri uma planilha para que eu pudesse me organizar, me motivar e cobrar de mim mesma por mais controle da minha conta: a chamada #PoupaRwanda. Nela contem duas tabelas: uma de depósitos simples (ou seja, para qualquer dinheiro que entre na minha conta) e de um plano que estou levando a cabo (de depositar 20 reais por semana ou a quantia que der, para não perder o costume de depositar).  Além de ficar com vontade de atualizar a planilha (ou seja, pra isso eu tenho que depositar hauhauahuha), eu tenho maior controle do que entra e sai dela, quem deposita e como posso aumentar as entradas. Acho que está dando certo, vamos ver ao longo dos meses!
Além do #PoupaRwanda, comecei a organizar com minha avó algumas peças de fuxico para vender, até para estimulá-la a fazer algo a mais em casa e a ter uma fonte de renda além dos depósitos. Comprei revistas, materiais, tecidos, e já começamos a ter ideias e a confeccionar algo: um colete simples de fuxico com base em um colete que tenho. O prazo para entrega nossa é até ano novo, pretendo usá-lo para marcar a mudança da nossa jornada, hahahahaha. #fuxicariadavovó
Estive em São Paulo em dezembro, para o casamento da minha amiga Tamiris, e vi muitas apresentações na Avenida Paulista. Fiquei com vontade de dançar Dança do Ventre e ver no que dá. Um tapete, uma caixa de som, preparo físico e uma boa trilha sonora para fazer o pessoal fazer #lililililili na Paulista, hahahahaha – mais uma estratégia!
Bem, essas três são as estratégias pessoas que estou fazendo para contenção de dinheiro. Como vou para Ruanda para fazer pesquisa de campo e finalmente conhecer, há uma outra frente que é pela Universidade, apoiando com o custeio da passagem ou hospedagem – mas isso é uma possibilidade remota, então vamos aqui trabalhar com essas três estratégias.
Sugestões, reclamações e adjacências, sintam-se livres para falar! 🙂
30beijos,
Militcha

Um comentário sobre “Começo do #PoupaRwanda e estratégias de contenção.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s