#Kwibuka25: Nunca Mais

Dia 7 de abril começam as comemorações/recordações do genocídio de Ruanda perpetuado em 1994. 25 anos de história não é nada para uma sociedade que ainda passa pelo processo de reconstrução pós-conflito.

Para marcar essa data, o My Ruanda compartilha a experiência do Kigali Genocide Memorial com vocês.

Como eu falei no vídeo anterior, segue o vídeo de uma das salas que me chamou mais a atenção: a das fotos das pessoas vítimas do conflito.

 

Para mais informações sobre o genocídio de 1994, acesse o nosso post do #Kwibuka22 com as fotos sobre o Kigali Genocide Memorial.

Nunca mais. Never again.

[Apoiadores] Muito obrigada, Ronaldo Andrade!

E começamos a nossa temporada de agradecimentos a todos os apoiadores do projeto My Ruanda Brasil no Catarse!!! Aos pouquinhos eu vou atualizando vocês de tudo que aconteceu, então tenham um pouquinho mais de paciência comigo (muito muito obrigada!).

O agradecimento de hoje vai para o grande Ronaldo Andrade! Eu fico muito feliz e agradeço imensamente pelo apoio, carinho e conversas ao longo do tempo. De verdade, saiba que o seu apoio ajudou a alcançar um sonho (e não somente um sonho, a me transformar como pessoa).

Ainda te devo aquele abraço pessoalmente, mas espero que receba minhas energias positivas desde aqui!

Centro de Kigali, capital de Ruanda – 13 de novembro de 2015

Escolhi essa foto porque foi minha primeira foto em Ruanda. Estava tão animada por finalmente acordar, estar ali vivenciando tudo, mas ainda não acreditando que estava ali. Acho que ainda a ficha não caiu, mesmo completando quase 1 ano que estive lá.

Muito obrigada por me acompanhar nesta viagem, Ronaldo!
#gorwanda #myruanda #rwanda #kigali

Brasil e Ruanda: Positivo BGH* abre fábrica em Ruanda!

Fiquei intrigada por não saber muito sobre a abertura de uma fábrica brasileira em Ruanda (imagina outros negócios brasileiros que, possivelmente, existem lá). Busquei em alguns sites (especialmente entrei em contato via Facebook com a Positivo) para saber mais sobre como se deu isso mas…sem muitas informações.

O que se sabe é que a Positivo abriu uma fábrica de tablets e computadores em Kigali, capital de Ruanda. Segundo o site da Revista Exame, o uso dos aparelhos serão destinados para estudantes do ensino fundamental e médio. Além disso,

“Enxergamos a África como um mercado muito interessante para ofertarmos tecnologia de qualidade a preços acessíveis, com já fazemos no Brasil, Argentina e Uruguai”, disse Hélio Bruck, presidente da Positivo no Brasil, em nota.

Para mais informações, acesse a matéria da Exame. Procurei no site do Governo de Ruanda ou da Positivo mas sem informações.

* Positivo BGH: joint-venture formada pela empresa Positivo e BGH.